Testosterona responsável por depressões

Os níveis reduzidos de testosterona nos mais idosos podem levar à depressão, diz uma equipa australiana. No entanto, dois especialistas portugueses dizem não ser possível estabelecer uma relação directa entre os problemas mentais e hormonais.

Os baixos níveis de testosterona no sangue constituem afinal mais do que uma ameaça ao desempenho sexual masculino. Um estudo desenvolvido por membros da University of Western Australia (UWA) sugere que os homens com níveis reduzidos de testosterona estão mais expostos à depressão.

A equipa australiana estudou cerca de 4.000 indivíduos do sexo masculino, todos a rondar os 70 anos. De acordo com as análises e exames efectuados, todos aqueles que registaram um défice de testosterona no sangue sofriam de depressão. Concluíram ainda que os indivíduos com baixo índice de testosterona tinham três vezes mais probabilidades de vir a sofrer de depressão do que os que apresentaram níveis hormonais mais elevados.

Para Adriano Vaz Serra, Presidente da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, afirmar que uma depressão no idoso está dependente apenas de um nível baixo de testosterona é uma “interferência arbitrária”. “Os níveis de testosterona não têm uma relação específica com a depressão”, uma vez que o comportamento do ser humano não é determinado apenas por “factores biológicos, mas também por factores psicológicos e sociais”, explicou.

“O estudo representa um avanço, mas neste momento ainda não é possível afirmar com precisão se são as alterações hormonais que dão origem à depressão, ou o contrário”, explicou ao Expresso Marques Teixeira, presidente do Colégio de Psiquiatria da Ordem dos Médicos. Estudos anteriores já relacionavam as oscilações do sistema hormonal com problemas mentais. No entanto, Marques Teixeira reconheceu que ainda não existem metodologias que permitam “estabelecer uma causalidade directa” entre ambos.

Risco de morte
Um estudo realizado anteriormente em 800 homens acima dos 50 anos revelou um risco acrescido de morte em todos aqueles que apresentaram baixos índices de testosterona, no espaço de apenas 18 anos. A saúde destes indivíduos poderá estar ameaçada por complicações relacionadas com doenças cardiovasculares e diabetes.

Mas há outros dados preocupantes. Se, por um lado, está provado que o envelhecimento reduz os níveis de testosterona nos seres humanos, por outro, são cada vez mais os homens de diversas idades afectados por este problema. Os autores do estudo defendem que as terapias aplicadas para fazer disparar os índices da hormona masculina no sangue podem também ser eficazes no combate à depressão em qualquer idade. Os referidos tratamentos mostraram-se igualmente eficazes quando aplicados a idosos com a doença de Alzheimer, acrescentam os pesquisadores australianos.

O especialista Vaz Serra duvida dos benefícios destas terapias, acrescentando que não obstante os efeitos positivos da testosterona sobre o estado de humor e bem-estar, elevados níveis da mesma estão associados a “comportamentos anti-sociais, de risco e ao desemprego”.

Fonte: Expresso.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s