Glossolalia: primeira investigação académica e tese de doutoramento em Portugal

Prestei recentemente provas para obtenção do grau de Doutor em Psicologia, na Universidade Autónoma de Lisboa, com uma tese intitulada “O fenómeno da Glossolalia e suas implicações psicossociais”, perante um júri presidido pelo reitor da UAL e outros seis doutores de outras instituições do ensino superior e da casa.
Trata-se de um primeiro trabalho de investigação sobre esta temática, realizado em Portugal, com todos os riscos que um trabalho pioneiro acarreta para o investigador. Insere-se no âmbito da Psicologia da Religião e Espiritualidade.
Fui aprovado com a nota de 16 valores e a classificação final de Muito Bom.
Os meus orientadores foram o Prof. Doutor João Hipólito (amigo e companheiro de há muitos anos) e a Profª. Doutora Rute Brites (amiga e colega na UAL).
Os meus agradecimentos a todos que de alguma forma colaboraram para que esta investigação pudesse ter sido realizada (em especial a quem distribuiu e preencheu os inquéritos e a quem se disponibilizou para as entrevistas) e, duma forma geral, a quem contribuiu para a minha formação em Psicologia e em Psicoterapia.

IMG_20150708_173901

Fotos: com os meus orientadores e durante a defesa de tese.

Segue-se o Resumo /Abstract da tese:

Resumo

O fenómeno que nos propusemos investigar chama-se Glossolalia. Trata-se de um dos fenómenos mais interessantes e pouco estudados da espiritualidade, no âmbito da Psicologia da Religião, e que se refere à capacidade de alguns indivíduos – quando integrados num âmbito religioso estruturado, de matriz cristã – serem capazes de, em determinadas circunstâncias de dinâmica religiosa, falar em línguas ou dialectos que nunca aprenderam, por razões racionalmente incompreensíveis, e que não sabem descodificar ou interpretar. A Glossolalia é definida por muitos observadores como sendo o fenómeno mais relevante do século XX, no âmbito do Cristianismo. O fenómeno é histórico, procede do primeiro século da era cristã e está registado nos textos bíblicos do Novo Testamento, assim como em diversos documentos históricos dos últimos dois mil anos.

O facto de se tratar de um fenómeno que se verifica a nível global, de se tratar de uma prática transversal, conjugado com a evidência da sua persistência histórica nos dois últimos milénios, assim como o seu contínuo crescimento desde inícios do século XX, constituem por si só fonte de interesse do investigador e objecto de eleição da investigação, até por se desconhecerem estudos académicos aprofundados desenvolvidos na realidade portuguesa, sendo relativamente escassos mesmo noutras geografias, tanto quando se conhece. Note-se que no ano de 2013 completaram-se 100 anos sobre a data da chegada a Portugal das primeiras comunidades pentecostais e glossolálicas de que há notícia.

Em particular, pretendemos apurar qual será a sua natureza psicossocial, isto é, qual o impacto da prática habitual da Glossolalia no indivíduo e no indivíduo em relação. Para tal aplicou-se um protocolo de investigação a uma amostra alvo constituída por 200 indivíduos pertencentes a dois grupos integrantes de diversas comunidades locais de fé, na área da Grande Lisboa. Um desses grupos pratica a Glossolalia, como ordem natural litúrgica e tradição eclesial, e o outro não a pratica, pelo facto de o fenómeno não fazer parte da sua tradição religiosa e litúrgica. O objectivo era apurar se existem ou não alterações psicopatológicas mais pronunciadas nos indivíduos falantes glossolálicos, nos seus actos de culto, do que nos não-praticantes. Permitia, também, apurar se os indivíduos falantes revelam alterações assinaláveis de auto-estima em comparação com os indivíduos não-falantes. Pretendia-se, ainda, verificar se os indivíduos praticantes da Glossolalia possuem algumas estratégias de coping específicas, face ao stresse, porquê e em que sentido, e se neste aspecto se diferenciam dos indivíduos não-praticantes. Pretendia-se, ainda, perceber se os indivíduos falantes revelavam ou não diferenças ao nível dos valores e da espiritualidade, em comparação com outros indivíduos, de sentido confessional diferente, não-falantes.

O referido protocolo foi constituído por um conjunto de cinco questionários, já validados para a população portuguesa, o qual permitiu recolher todos os dados necessários à afirmação ou infirmação das hipóteses de estudo. Realizámos ainda um conjunto de 10 entrevistas semi-estruturadas a glossolalistas, integrantes de comunidades locais de fé protestantes/evangélicas, de forma a podermos compreender, de forma aprofundada, a sua vivência.

Os resultados demonstram a ausência de diferenças significativas entre os dois grupos em matéria de auto-estima ou de estratégias de coping. Relativamente aos valores verificaram-se diferenças entre os dois grupos, com os praticantes a apresentar valores mais elevados, em todas as dimensões da espiritualidade. Quanto aos aspectos psicopatológicos, os não-praticantes apresentaram valores mais elevados nas subescalas de obsessões-compulsões, ansiedade e hostilidade.

O estudo do fenómeno glossolálico reveste-se de especial complexidade, tanto pela sua interdisciplinaridade, como pela conhecida dificuldade em investigar de perto os comportamentos religiosos.

Palavras-Chave: Glossolalia, Pentecostalismo, Psicopatologia, Auto-estima, Coping, Valores, Espiritualidade.

Abstract

The phenomenon that we proposed to investigate is called Glossolalia. We’re talking about one of the most interesting and less studied phenomenon of spirituality, in the field of Religion Psychology, and that refers itself as the capability of some individuals—when integrated in a structured religious scope, of Christian identity – being able to, in specific circumstances of religious dynamics, speak in tongues or dialects that they never learned, for rationally incomprehensible reasons, and can’t decode or interpret.  Glossolalia is defined by many observers as being the most relevant phenomenon of the XX century, in the field of Christianity. The phenomenon is historical, preceding from the first century of the Christian era, and is registered on the New Testament, as it is in many historical documents from the past two thousand years.

The fact that it is a phenomenon that is proved being worldwide, that it is a transversal practice binded with the evidence of its historical persistency in the last two millennium, as so as its continuous grow since the beginning of the XX century, it constitutes by itself a source of interest by the investigator and object of election for the investigation, since it is unknown of deep academic studies developed in the Portuguese reality, being relatively scarce even in other geographies, the amount of what we really know.  It is worth pointing out that the year 2013 completed 100 years of the date of arrival to Portugal of the first Pentecostal and glossolalic communities.

In particular, we pretend do discover that is its psychosocial nature. This is, what is the impact of recurrent practice of glossolalia on the individual or on the individual relative to so.  For such, an investigation protocol was applied to a sample of 200 individuals belonging to two integratings groups of various local faith communities, residing in the region of Lisbon.  One of those groups practices Glossolalia, as a natural liturgical order and ecclesial tradition and the other group doesn’t practice it, for the fact that that phenomenon does not play a role in their religious and liturgical tradition.   The objective was to shapen if there are or not more evident psychopathological alterations in speakers of glossolalia, in their acts of cult, than non-practitioners.  It would also allow to highlight if the speakers would reveal targetable alterations of selfesteem in comparison with non-speakers. It would also pretend to verify if speakers of Glossolalia possess some specific strategy of coping, facing stress, why and how, and if in this aspect it would differentiate from non-practitioners. We also intended to understand if the speakers revealed or not differences, in terms of values and spirituality, in comparison with other individuals, referring to different confessional orientation, non-speakers.

The referred protocol was made up of five questionnaires assessed for the Portuguese population, which allowed to gather all the necessary data regarding the affirmation or non-affirmation of the chances of study. We also conducted a set of 10 semi structured and glossolalist interviews, integrated in local communities of protestant/evangelic faith, so that we can undertand in a more in-depth way their experience.

The results demonstrate an absence of  significant differences between the two groups in terms of self-esteem or in strategies of coping. Relative to the values, there was evidence that there were differences between the two groups, with the practitioners presenting higher values in all dimensions of spirituality. In terms of the psychopathologic aspects, non-practitioners presented higher values in the subcategories of obsessive-compulsions, anxiety and hostility.

The study of the glossolalia phenomenon envelops itself of a special kind of complexity, not only for its interdisciplinarity, but also for the well known difficulty of investigating closely religious behaviours.

Keywords: Glossolalia, Pentecostalism, Psicopathology, Self-esteem, Coping, Values, Spirituality.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s